Professor TEM SIM que se curvar perante o Imperador

Ressuscitando o blog parado há mais de 3 meses por conta de um desabafo de algo que tenho visto direto no face… Já tem um tempo que tenho visto essas histórias de que o professor é o único profissional que não tem que se curvar. Como toda boa mentira, ela se apoia em fatos verídicos para poder dar maior credibilidade e fazer com que as pessoas acreditem no boato/mentira/absurdo e repassem sem pesquisar.

Professor, Imperador, Japão

A primeira vez que vi foi no ano passado, antes mesmo de ir para o Japão e já tinha achado meio esquisita, pois sabia que o imperador era quase um deus no japão. Fui investigar e perguntando para algumas pessoas que entendem muito de história japonesa, a verdade apareceu.

O que aprendi é o que alguns meses depois descobriria com facilidade na viagem ao Japão. Os fatos: professor sim é um cargo de muito respeito no Japão e sim, eles valorizam muito a educação, uma tradição desse povo espetacular que pude ver de muito perto. Os diretores são cargos de muito respeito e todos os professores ganham bem para os padrões japoneses. Conheci mais de uma dezena de professores e todos estavam bem de vida. Provavelmente se bobear eles até acreditam que realmente que “numa terra sem professores não pode haver imperadores”, vamos garantir o benefício da dúvida para esse povo vai.

Agora, uma vez que se conhece como é o povo e como é sua veneração com o imperador, fica bem claro que ninguém que more naquela ilha pode se dar ao luxo (ou desrespeito) de não fazer odigui, que é o nome do característico cumprimento japonês/chinês, por mais importante que seja o professor, pois nada é mais importante que o imperador.

Assim, por favor, não repassem mais essa mentira. Quem tiver a oportunidade de conhecer a cultura japonesa e, principalmente conhecer a relação do povo com o imperador, verá que, apesar de muito bonita e até poética e filosófica, essa informação não tem veracidade alguma.

Advertisements